A Gata Borralheira

29/04/2014 13:45

Uma mulher andava triste, desiludida com a vida, tudo o que fazia, ou não dava certo, ou não era reconhecido, e ela vivia em cantos amargando consigo a sua infeliz condição. Uma planta que nasce, tem que dar flores, frutos, se não seca, definha por dentro, se torna um arbusto, um emaranhado de galhos, sem folhas, não viceja e sobrevive na sua condição, seu sonho era brilhar, dar alegria, vida, enfim viver...

            Uma bruxa a vendo naquela triste situação se apieda dela, e vem aparecer-lhe, e lhe concede três, e só três desejos.

            ---- Primeiro- ela diz- quero viver um grande amor !

            ---- Depois, o segundo, quero que seja recíproco!

            ---- Muito bem- disse a bruxa- só falta mais um, vê se não faz um tão filosófico...

            ---- Eu gostaria, diz tímida, que a forma com que faço café, lá em casa, seja reconhecida no mundo inteiro como cerimônia, como a do chá no Japão!

            ---- O que me pedes é muito difícil, vamos analisar os pedidos:

            ---- Primeiro: você quer viver um grande amor, e não uma paixão. O que já complica a coisa. A paixão carrega consigo uma grande ilusão, enquanto o amor a realidade. Se fosse paixão, eu poderia ter usado o truque da cinderela, encher os olhos de todos com o pó mágico; ninguém ver a realidade, e, uma moça simples, com os pés no chão, gostar de um príncipe fútil, que graças a seu cargo vive “na ilha da fantasia” . E este ver naquela moça uma princesa encantada, não uma mulher comum, com uma grande beleza, não só física como espiritual, mas algo parecido com seus sonhos e ilusões.

            ---- Agora imagine este casamento cinco anos depois, ela tendo que aturar a vida fútil da corte, com suas manobras, articulações e inutilidade, e ele que procurava uma companheira para se dar bem nessa vida, que era a dele, frustrados. Isso não é amor, e sim uma paixão! O amor traz em si uma dose de realidade, enquanto a paixão...

            ---- Bom, você me pediu primeiro, “para viver um grande amor”, você precisará amar também, eu acredito ser este o primeiro pedido, deixar de ser estéril , árida, como está agora. Pois a quantidade de amor que é capaz de ter, é aquela que nós somos capazes de amarmos, o quanto mais você se amar, maior será a capacidade de amar o outro. Sabes a diferença ?

            ---- Sei!

            ----Ótimo! Para você amar, e  portanto viver um grande amor são necessárias três coisas, primeiro amar a si, o que já vimos; Segundo amar o outro, como este é, dentro da realidade, não gostar de uma imagem criada em si do outro, mas respeitar a individualidade do ser amado, e se houverem mudanças  a serem feitas para o casal se amar mais, estas terão que ser recíprocas, paulatinas, sempre dentro da realidade.

            ---- Um conselho de bruxa, nunca peças grandes coisas, dá margem a ilusão, só pequenas, as mais fáceis, são as mais importantes. Terceiro amar a si amando o outro! O sentimento tem que ser tão bom, lhe dar tanto prazer, que fica facial amar a si tendo este, é motivo de orgulho, e não de algo que se tem vergonha, e se tem temor. Perdoe-me, o temor é sempre de perder o ser amado.

            ----- Nossa! Isto é tudo?

            ----- Não, só o primeiro pedido! Vamos ao segundo: que seja recíproco.

            ---- O amor traz consigo, uma certa dose de sofrimento, e desse sofrimento nasce o êxtase do amor, com Cristo sofrendo, sangrando na cruz por amor! O sofrimento do amor, que deve existir, é bom, o ideal que seja a dúvida da reciprocidade, e o temor de perder o ser amado, com a dose de sofrimento, mais coisas se faz para o outro, para não perdê-lo. Lembre-se de que quando você faz para o outro, também está fazendo por você, por isso é bom pedir as coisas pequenas , fáceis de fazer, mas que exijam a consciência do porquê, como e por quem está fazendo. Mesmo acontecendo a confusão, de fazendo para o outro faz-se para si. Deve-se procurar o companheirismo, sem abafar a personalidade do parceiro, já vimos isto. E lá se foi o segundo desejo!

            ---- Mas você não fez nada, só falou comigo, não há magia...

            -----Viva o que me pediste, da forma com que te falei, e verás a grande magia, a magia do amor!

            ---- No terceiro pedido você não vai me enrolar, pode ter certeza!

            ---- Vamos ao último; Você quer que a forma com que faz café, na sua casa, seja reconhecida como um ritual, como o do chá no Japão, e quer isso mundialmente!

            ----- O que é fazer o café na sua casa?

            ---- Um ato de seu cotidiano, da sua maneira de ser, pensar  e agir... E isto deve ser visto no mundo inteiro como ritual. Vou fazer melhor!

            ----- Um dia, um escritor, vai contar a estória real de Gata Borralheira, que não pediu dinheiro, status, ilusão ou paixão, apena o amor. Viu que o amor dependia dela e só dela, que a magia do amor está na sua existência, e não em outras coisas. Virará  páginas de um livro, e todos que o lerem, verão que a Gata borralheira era a mais sensível, inteligente e criativa personagem dos contos de fada. Quer maior reconhecimento ?

            ---- NÃO !

 

Contato

Escritor Tito Laraya

São Paulo - SP - Brasil

Apoio

Livros do autor

 

png optimizer
 

 

 

 

Clique na imagem abaixo e acesse Gratuitamente matéria exclusiva com o escritor Tito Laraya

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!